janeiro 17, 2011

E a vida vem em ondas (...) Como o mar.



As pegadas na areia iam aos poucos sendo apagadas pelas ondas que se quebravam na praia, até quando as minhas marcas permanecerão em seu coração ? Caminhando sozinha à beira mar,  pensava... Até quando o meu cheiro permanecerá em sua memória até que seja substituído por outros cheiros?
Já não havia quase ninguém na praia, era quase noite e o som do mar era tudo o que se podia ouvir. A solidão do momento me fez lembrar do ruído do seu riso, até quando ele ecoará em minha memória até que venham outros sons ? Até quando minha imagem virá a tua mente quando você por ventura fechar os olhos e pensar em mim? quanto tempo resistirá o teu perfume no meu casaco? E o meu gosto na tua boca? quanto tempo será capaz de resistir? até que você prove outros gostos ? até que você decida esquecer ?? Quanto tempo dura um amor eterno ? 
Felizes os que deixam pegadas na areia, pensava... Vê só como elas vem e levam tudo sem deixar nem vestígios?? Será que alguém ainda se lembra das pegadas deixadas ali depois de engolidas pela água salgada do mar ? Será que o mar consegue mesmo apagar todas as marcas? ou elas ficam ali, disfarçadas, ocultas, camufladas nos olhos, no sorriso, nos cheiros e gostos?
Por quanto tempo tua imagem permanecerá na minha lembrança? Será o tempo como uma onda do mar ??? 
E será  uma onda  capaz de reconhecer uma pegada que apagou ? E você reconhecerá o meu sorriso depois de apagado da sua memória ? E da minha voz? se lembraria ? reconheceria a minha voz se eu te ligasse e dissesse oi? por quanto tempo ?
As pessoas que passam por nossas areias não podem sequer perceber as marcas apagadas... pelas ondas, pelo tempo, pela memória... 
E pra onde vão os risos, os beijos, os cheiros, os gostos? onde ficam as lembranças, os sons, as memórias ? pra onde as ondas levam as marcas dos pés que lá estiveram? pra onde o tempo e a distancia levam as marcas da gente? 
Por quanto tempo ? Até quando???

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará
A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito
Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo
Não adianta fugir
Nem mentir
Pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar.
(Lulu Santos,  Como uma onda)








2 comentários:

  1. Você é algo assim...

    ResponderExcluir
  2. Marejados, emocionados, é assim que meus olhos se encontram lendo seus texto...

    E será uma onda capaz de reconhecer uma pegada que apagou ? E você reconhecerá o meu sorriso depois de apagado da sua memória ? E da minha voz? se lembraria ? reconheceria a minha voz se eu te ligasse e dissesse oi? por quanto tempo ?

    ResponderExcluir